Provedores regionais levam internet à áreas remotas do MS

  • Provedores regionais levam internet à áreas remotas do MS

A proximidade com o cliente, agilidade no atendimento e abrangência ampla, alcançando os lugares mais remotos e sem acréscimo no valor do serviço, colocam os provedores de internet regionais no topo do crescimento no Brasil, registrando 65% acima das grandes operadoras, segundo dados da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações).

Somente em Mato Grosso do Sul, os provedores regionais – aqueles independentes e não ligados às grandes operadores (Oi, TIM, Cabo, Algar Telecom e Claro) representam 60% da internet fornecida no Estado e com o diferencial de alcançar os 79 municípios, desde a área urbana até a rural, incluindo aldeias e assentamentos. “No Estado, contamos atualmente com cerca de 320 empresas no segmento de provedores de internet e estamos localizados nos 79 municípios de Mato Grosso do Sul atendendo todos os setores, seja residências, empresas, indústrias, assentamentos, aldeias indígenas e propriedades rurais, levamos comunicação para todos os pontos, desde a região central até o Pantanal alagado”, esclarece o presidente da APIMS (Associação de Provedores de Internet de Mato Grosso do Sul), Dário Burda Júnior.

Ainda segundo Júnior, os provedores regionais tiveram crescimento mais expressivo devido sua proximidade com o consumidor e o atendimento mais abrangente, chegando em áreas mais remotas e periféricas, onde não há interesse das grandes operadoras, tendo em vista a demanda por acesso a grande rede estar cada vez maior, e a dependência pela internet. “Podemos citar como exemplo algumas cidades do interior ou zonas rurais. As grandes operadoras não se interessam em investir nessas áreas, pois, pode ser menos rentável, mas os provedores regionais chegam até lá e mais, atendem o cliente com proximidade, entendem melhor a demanda local e proporcionam mais confiança, uma vez que o usuário tem o contato direto de seus representantes, muitas vezes até dos próprios donos”, esclarece.

Quanto ao investimento por parte do consumidor, os valores da contratação entre grandes operadoras e as regionais são praticamente equivalentes, com o diferencial maior na qualidade do serviço oferecido. “Não há grande diferença entre valores aplicados, muitas vezes são iguais, mas há grande diferença entre você ligar para uma central telefônica e aguardar horas ou dias para solucionar um problema e ter contato com a empresa local, muitas vezes conversando diretamente com o dono. Isso resulta em agilidade e alta qualidade no serviço”, explica Burda Júnior.

Internet em números – Segundo dados da Anatel, o Brasil registrou 29,1 milhões de contratos de banda larga ativos no Brasil apenas no início de 2018. Os números indicam aumento de 336,4 mil contratos (+1,17%) no mês de janeiro de 2018  em relação a  dezembro do ano passado.

Os provedores regionais no mesmo período, registraram aumento de 290,8 mil contratos em operação (+6,80%). Tais números comprovam que estes prestadores de serviço registraram crescimento 3,5 vezes maior do que todos os grupos com evolução positiva juntos (Oi, TIM, Cabo, Algar Telecom, e Claro).

Sobre a APIMS – A Associação de Provedores de Mato Grosso do Sul foi fundada em março de 2017 com o objetivo de fortalecer o segmento da internet fornecida por meio de provedores regionais, assim como estabelecer segurança e proximidade à população.

 

Associação de Provedores de Internet do MS.

Integrando novas tecnologias, ampliando conhecimento.

TOPO