Planejamento e impostos foram temas abordados em palestra

  • Planejamento e impostos foram temas abordados em palestra

Após passar por Campo Grande no dia 1º de agosto, iniciativa da APIMS (Associação dos Provedores de Internet de Mato Grosso do Sul) aportou em Dourados no dia 3 de agosto para levar palestra sobre SCM (Serviço de Comunicação Multimídia) e SVA (Serviço de Valor Agregado) aos provedores locais. O evento abordou também a questão do planejamento ambiental, taxas de impacto na implementação de torres e outros assuntos.

Ambos seminários aconteceram no Hotel Alphonsus, e a iniciativa da APIMS teve por objetivo trazer esclarecimentos aos empresários do segmento, com a presença de cerca de 30 pessoas. As palestras sobre SCM e SVA foram ministradas pela equipe da empresa Futurion de Brasília (DF), e a discussão sobre planejamento ambiental foi oferecida pela equipe da Refereng, de Dourados. “Para nós é de extrema importância trazer profissionais do porte e gabarito dessas empresas, para trazer desenvolvimento para o próprio provedor”, pontua Dario Burda Jr., presidente da APIMS.

Segundo Dario, esse é mais um dos eventos que a Associação pretende agilizar para os associados e empresários ao longo de 2018. “Dessa forma, os provedores regionais podem ter uma visão organizada do que pode acontecer no mercado, e se tornarem parceiros de suas comunidades”, enfoca.

Alguns temas como contabilidade (Análise do Plano de Contas e Alocação dos Lançamentos), Faturamento (diferença entre SCM e SVA), Recolhimento de Impostos (ICMS e ISS), Planejamento e Definição de Matriz Tributária e Resultado, foram abordados durante a explanação da Futurion. “Os provedores regionais, na forma como atuam na expressão da banda larga no Brasil, têm um papel fundamental na inclusão digital das pessoas, com uma importância ímpar de contexto social. Disseminar conhecimento para nós é fazer parte disso”, avaliou o analista da Futurion Marcio Rodrigues Santos.

 Para o engenheiro da Refereng, Lucas Felipe, falar de licenciamento ambiental para esse segmento também se mostra salutar. “Precisamos antes de mais nada saber quais licenciamentos ambientais o provedor regional precisa, quais taxas terá de pagar, qual o impacto ambiental do seu negócio, para que no futuro sejam evitados embargos, problemas”, explica. Segundo ele, levar a informação até esses profissionais faz com que muitos problemas sejam evitados na implementação do serviço.

Associação de Provedores de Internet do MS.

Integrando novas tecnologias, ampliando conhecimento.

TOPO